MEU CASAMENTO DESMORONOU, O QUÊ FAÇO?

O ser humano é um animal sociável, e precisa constantemente estar se relacionando para  perceber que  pertença  a vida, por isso a confirmação desse elo.

Muitos relacionamentos simplesmente trazem consigo alguns  efeitos  colaterais que diminuem sua energia de ser, e esgota sua vitalidade para outras áreas da vida, também conhecidos  como ralos energéticos, esses ralos energéticos trazem consigo, fragilidade mental e até esgotamento físico,  onde você fica presa há um padrão de não mudança. Fazendo que seu dia se torne  sucessões de entradas em redes sociais, e televisão, não tendo vitalidade para mais nada, e quando se deu conta  já havia  passado  o dia, e mais uma vez foi igual, sem produtividade, e sem harmonia.

O estado de não mudança formula o aparecimento de algumas crenças, e de sua voz que justifica sua paralização dando a sensação  que está tudo normal ou que por algum motivo você não está bem hoje, ou que você esta levando uma vida normal, mas que amanhã você começa algo, e assim podem se passar anos sem que você tome a decisão ou a atitude que vai fazer  à diferença.

Nesse estado você erra mais,  não sabe que erra, mas consegue por em palavras sentimentos que vivencia ,tais como um vazio, dor no peito, conflitos de relacionamentos amorosos, familiares ou profissional, insatisfação com a aparência e com a vida.

Achando que felicidade, saúde, alegria e prosperidade é utopia, ou para poucos, reforçando sua crença de não merecedora ou se auto  abandonando.

Antes de eu te dar algumas dicas para você se investigar e alavancar suas mudanças, quero  contar uma história de uma coachee  Adriana.

Adriana chegou no consultório querendo que eu ajudasse a decidir algumas coisas em sua vida que não ia muito bem. Adriana 34 anos mãe de dois filhos, casada com Paulo a 9 anos achava que seu casamento não tinha mais jeito e que seu marido deixara de amar, sobrecarregada e sem valor em sua área profissional, cansada de sua vida e das jornadas que assumira durante seu longo dia, achando sempre que ninguém à ajudava ou se importava com ela. Paulo trabalhava numa metalúrgica e saia de casa muito cedo e voltava no jantar, chegava tomava banho ficava um pouco com as crianças, jantava e assistia o jornal.

Enquanto isso ela chegava da loja com as crianças que pegara na escola no caminho de casa, colocava o jantar no fogo enquanto colocava roupa para lavar na máquina. Todos jantavam juntos, mas quando Paulo ia para sala assistir o jornal, sua ira tomava conta despejando toda insatisfação e frustração que tivera no dia, trazendo para o ambiente um pesado clima que foi se repetindo, quase todos os dias, no começo Paulo se incomodava depois de um tempo fazia que não escutava mais, a deixando mais nervosa ainda.

Mas voltando para o consultório propus que ela tentasse rever sua vida, e olhasse o que ela havia aprendido com cada relacionamento em sua vida, nesse caso amoroso, profissional, e como mãe, e fizesse uma lista de que a incomodava em cada área. E trouxesse na próxima sessão, e assim ela fez.

Na segunda sessão ela trouxe suas respostas, e para sua surpresa o que a aborrecia era somente uma pequena parte, das coisas que ela havia aprendido com cada relacionamento, e que seu foco ficava 100% no negativo dessa pequena parte, e assim  despertando o negativo também nos outros.

E sua nova estratégia foi focar positivamente sempre fazendo algumas perguntas que deixarei no fim  desse artigo para você também fazer uma autoanálise.

Então com suas respostas Adriana começou trazer para sua vida algumas atitudes e decisões que ficara no seu passado, onde tudo era mais fácil e compensador.

Os dias foram passando e nossas sessões também, mas agora era Adriana que chegava em mim querendo e sugerindo novas tarefas para incorporar em sua vida, chegava dizendo que Paulo agora  simplesmente por ela perguntar como tinha sido seu dia e sempre procurando saber de algum assunto do serviço dele, ele ficava na cozinha e até ajudava com pequenas tarefas ou com o banho das crianças. E depois de  algumas semanas implantou o dia do casal onde eles faziam algo junto, saiam  ou ficavam em casa para namorar sem as crianças até as 22:30e Paulo nunca perdia hora, agora já até mandava mensagem para que ela não esquecer que era o dia,  e assim Adriana foi ficando mais animada e positivamente mais feliz. No seu emprego tomou algumas atitudes deixadas no passado, e trouxe novas ideias,  que a fez ser vista novamente como uma forte candidata para gerenciar a loja, e depois de alguns meses assim se cumpriu. Esse é um resumo do que aconteceu com minha coachee Adriana.

Digamos que será preciso dar o primeiro passo para a mudança, para que você consiga ver de forma diferente seus relacionamentos, inclusive sincronizar pensamentos, sentimentos e atitudes com maturidade e bom humor para que aumente sua chance de dar muito certo.

Todavia nem sempre será simples, pois aspectos tendem sair do controle, mais com atitudes e sem exageros vai se criando novos hábitos, ou resgatando estratégias que já deram certo, dando chance para melhor versão de si mesmo apareça.

Como prometido aqui estão algumas perguntas para você começar uma autoanálise:

Melhor que pegue papel e caneta e escreva, para que depois você visualize tudo e leia quantas vezes  quiser.

Os relacionamentos podem ser de varias áreas da vida, como amoroso, profissional, amizades, ou religiosos.

  • O que eu fazia no começo dos meus relacionamentos, o que deixei de fazer?
  • Será que eu falava mais manso?
  • Será que eu escutava mais?
  • Será que me arrumava mais?
  • Será que eu reclamava menos?
  • Será que conversava mais?
  • Será que me interessava mais?
  • Será que eu ficava menos de mau humor?
  • O que essa pessoa mais comentava, que gostava em mim?
  • Como eu quero ser lembrada?

Depois de se perguntar, você achou alguns pontos para mudança e por onde começar, mas lembre-se você só pode mudar o que está no seu controle, e se precisar peça ajuda, mas  mudando você, refletirá nos outros, trazendo de volta a sua almejada felicidade e realização.

 

The following two tabs change content below.
Dra. Eliana Zenaro

Dra. Eliana Zenaro

Fisioterapeuta formada pela Universidade Paulista-UNIP, pós-graduada em Uroginecologia e Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto-FAMERP; Dermatofuncional e Estética Facial e Corporal com ênfase em Drenagem Linfática e Pós Operatório de Cirurgia Plástica pela Faculdade do Senac. Máster Coach em Emagrecimento consciente e relacionamentos pelo HCII e coach em formação pelo Instituto Edson Burgue.

Post do Autor Dra. Eliana Zenaro

Dra. Eliana Zenaro
Fisioterapeuta formada pela Universidade Paulista-UNIP, pós-graduada em Uroginecologia e Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto-FAMERP; Dermatofuncional e Estética Facial e Corporal com ênfase em Drenagem Linfática e Pós Operatório de Cirurgia Plástica pela Faculdade do Senac. Máster Coach em Emagrecimento consciente e relacionamentos pelo HCII e coach em formação pelo Instituto Edson Burgue.