CAMINHO DA ROÇA

Você conhece um caminho da roça?

Você sabia que construímos vários “caminhos da roça”?

Fazemos nossos “caminhos da roça” quando aprendemos algo, repetimos até ficar no piloto automático. Já nem pensamos mais como fazer, está pronto. São conhecidos cientificamente como caminhos neurais. Imagine que um caminho neural é um determinado caminho entre onde você está e 50 metros à sua frente –  Entre você e o seu objetivo. Nesse caminho existe uma mata que impede chegar no objetivo. Para chegar no objetivo, você abre a mata, vai limpando e trilhando o caminho. Quando você usa a mesma trilha várias vezes, a mata do local onde você pisa, morre, deixando à mostra a terra que existia ali, formando um caminho – “o caminho da roça”. Quando você deixa de caminhar por essa trilha, a mata volta a crescer, desfazendo a trilha. Assim funciona um caminho neural no nosso cérebro.

Nossos “caminhos da roça” são comportamentos que nos trazem frustrações, sentimentos de incapacidade, sentimentos de não merecimento, bem como os comportamentos que trazem alegria, bem estar, sentimentos bons e que nos elevam como ser humano.

Quando decidimos fazer um caminho mais feliz, mais florido, mais alegre temos várias ações para consolidar esse novo caminho. Deixar o nosso “caminho da roça” por outro melhor requer persistência, determinação, vontade de ver as flores, os perfumes e os pássaros cantando. Quando decidimos, nos empolgamos e ficamos animados com a perspectiva nova, mas, as vezes, esquecemos de nos empolgar com o desejo que nos fez fazer um novo caminho. Esse desejo será o combustível que nos movimentará em cada etapa, mesmo quando ela estiver cheia de desafios. O nosso “caminho da roça” está lá e a cada desafio temos a tendência de caminhar por ele, já não precisa fazer nada, está pronto, até a dor é conhecida. Reconhecer que, algumas vezes, voltamos a fazer o “caminho da roça” é um saber que nos possibilita antecipar algumas ações. Podemos descansar no caminho novo, podemos olhar e parabenizarmos por ter começado, podemos andar por ele, por onde já foi construído, e nos familiarizarmos com ele até termos clareza e recursos internos para avançar na construção do mesmo.

“Quando fazemos algo novo, pela primeira vez, nosso cérebro começa a criar caminhos neurais para essa atividade e, depois de alguns dias repetindo a mesma coisa, esse caminho fica mais forte, funcionando automaticamente e transformando nossas atividades em hábitos inconscientes, como andar de bicicleta, dirigir um veículo ou fazer gols no caso do Neymar. Da mesma forma, quando deixamos de fazer algo habitual ou mudamos o hábito, tiramos a força desses caminhos neurais, até que eles desapareçam e nos livremos dos maus hábitos, como roer unhas”. (Juliano Primavesi em 17/08/2016 – Neuroplasticidade: aprenda facilmente novos truques para alta performance/ artigo no site: riquezas sem limites.com.br).

Nós construímos vários “caminhos da roça” ao longo da nossa vida, saber quais deles queremos substituir ou melhorá-los requerer autoconhecimento. Ninguém muda o desconhecido.

Se você quer conhecer melhor “seus caminhos da roça” para identificar qual precisa ser substituído ou melhorado, eu posso lhe ajudar, assim você poderá construir caminhos, mais adequados, que irão fazer parte da sua vida no seu novo estilo de vida.

The following two tabs change content below.
Coach Ester Franco

Coach Ester Franco

Coach Ester Franco - @esterfrancoach Professora Aposentada da Rede Pública no Município de São Paulo. Formada em Letras e Pedagogia. Pós Graduada em Ética, Valores e Saúde na Escola Pós Graduada em Semiótica das Culturas e dos Discursos não verbais É uma pessoa de bem com a vida e muito grata a Deus por tudo. Ama o mar e viajar.
Coach Ester Franco

Últimos Artigos porCoach Ester Franco (see all)

Post do Autor Coach Ester Franco

Coach Ester Franco
Coach Ester Franco - @esterfrancoach Professora Aposentada da Rede Pública no Município de São Paulo. Formada em Letras e Pedagogia. Pós Graduada em Ética, Valores e Saúde na Escola Pós Graduada em Semiótica das Culturas e dos Discursos não verbais É uma pessoa de bem com a vida e muito grata a Deus por tudo. Ama o mar e viajar.