BANHA DE PORCO: VILÃ OU MOCINHA?

Você já parou para pensar se o tipo de gordura que você tem utilizado no preparo das refeições em sua casa é o mais saudável?

Encontramos à nossa disposição no mercado uma imensa variedade de gorduras e óleos. Muitas vezes o preço, a praticidade e até mesmo as informações que obtivemos nas últimas décadas, nos faz adquirir um produto que imaginamos ser saudável e seguro para a nossa saúde e da nossa família.

Com o passar do tempo foram passando pela nossa mesa uma infinidade de tipos de óleos vegetais de diferentes marcas e preços: desde o mais comum e popular devido à preços mais modestos que é o óleo de soja, até outros também comuns mas que possuem um preço mais generoso como o de canola, girassol e milho.

Temos também a gordura vegetal hidrogenada que foi criada através dos óleos vegetais processados. Ela é bem comum e muito utilizada na produção de bolos, doces, sorvetes, bolachas recheadas, recheios de bombons, etc. Muitas vezes comemos sem saber que ela está ali escondidinha no alimento industrializado.

 

Nossos ancestrais utilizavam a banha de porco na preparação dos alimentos e na conservação dos mesmos, pois antigamente não existia refrigerador. Temos exemplos de pessoas que viveram muitos anos, com saúde, se alimentando dessa forma. Lembrando que a quantidade de pessoas com câncer, AVC, diabetes, era bem menor do que hoje.

 

Surgiu então com o crescimento industrial o primeiro óleo vegetal, o de soja, e com ele vieram várias informações de seus benefícios para a saúde humana e as facilidades de armazenamento, conservação e até mesmo de acesso, principalmente nos grandes centros.

 

Alguns mitos que envolveram a banha e ajudaram a apresentar o óleo vegetal como o salvador da pátria, foram:

 

  • Quem utilizava engordava rapidamente;
  • Elevava os níveis de colesterol ruim;
  • Causava AVC;
  • Fazia mal ao coração;
  • Poderia causar infarto.

 

Mas então e a gordura de porco? O que aconteceu com ela?

 

Nos passaram várias informações sobre a banha de porco, que hoje, após muitos estudos e pesquisas desenvolvidas, foram derrubadas ao chão e a vilã de outrora, volta mais uma vez a tornar-se a menina dos olhos daqueles que prezam pela sua saúde e de sua família.

 

Vamos conhecer um pouco mais sobre a mocinha da vez?

 

A banha de porco, ou seja a gordura animal é parecida com a que existe em nosso corpo, com características próximas e semelhantes.

 

Possui gordura saturada pura em uma composição perfeitamente balanceada com cerca de 40% de gordura saturada e 45% de gordura monoinsaturada. Portanto a gordura saturada animal não nos traz nenhum malefício.

 

Conheceremos abaixo alguns benefícios trazidos aos usuários da banha de porco:

 

  • Excelente para cozinhar, principalmente ao fazer frituras, pois mesmo em altas temperaturas não libera compostos tóxicos;
  • Extremamente nutritiva: apresenta em sua composição vitaminas B e C, além dos minerais Fósforo e Ferro;
  • Saudável para o coração pois possui ação antioxidante que ajuda a diminuir o colesterol ruim – LDL- e aumenta os níveis do bom colesterol – HDL;
  • Possui altas doses de ômega 3: quando os porcos são criados soltos, pastoreando de forma livre;
  • Rica em ácido oleico, que reduz o risco de depressão por quem o consome.

 

banha de porco
(foto:Divulgação)

 

Posso então a partir de agora consumir a banha de porco tranquilamente?

 

Calma! As coisas não são tão simples assim.

Primeiramente a ressalva de que tudo que é demais faz mal. E isso também vale para pensarmos que devemos consumir tudo com moderação e consciência, principalmente se queremos preservar nossa saúde.

 

Lembre-se: SOMOS O QUE COMEMOS!

 

Se me alimento bem, me exercito, terei boa saúde vida longínqua, mas se por outro lado, como e esqueço de gastar as energias consumidas em minhas refeições, não obterei resultados satisfatórios.

 

É bom fazer a substituição dos óleos vegetais pela banha de porco?

 

Sim, é excelente! Mas cuidando das quantidades de acordo com o gasto calórico diário.

 

Agora, um detalhe importantíssimo e realmente essencial para você que está decidido a fazer o consumo da banha de porco, a sua origem.

 

Assim como vários outros alimentos que consumimos, também devemos ter o cuidado de saber a origem da banha de porco que iremos consumir. Pois se a mesma não for produzida em local bem higienizado e não for de origem idônea, melhor não utilizá-la.

 

Hoje é possível encontrar em redes de supermercados que possuem frigoríficos próprios, que acompanham todo o processo do animal desde o nascimento até o abate, e que produzem seu próprio produto.

 

Como faço o armazenamento?

 

O armazenamento poderá ser feito na geladeira por no prazo máximo de um mês ou no freezer se desejar armazenar pelo prazo de um ano.

Na geladeira ela fica macia e sólida, sendo fácil de utilizar na preparação de seus pratos.

 

Como devo utilizar a banha?

 

Poderá usar para:

  • fazer frituras, observando a crocância que ela dará aos alimentos;
  • refogar os alimentos;
  • substituir a manteiga no pão;
  • substituir o óleo em uma receita, sendo necessário derrete-la antes.

 

Desejo a vocês bons pratos, com muita qualidade e sabor!

 

The following two tabs change content below.
Juliana Negro Cardamoni

Juliana Negro Cardamoni

Pedagoga, Coach do Instituto Edson Burger com Especialização em Emagrecimento e PNL (Programação Neuro Linguística).

Post do Autor Juliana Negro Cardamoni

Juliana Negro Cardamoni
Pedagoga, Coach do Instituto Edson Burger com Especialização em Emagrecimento e PNL (Programação Neuro Linguística).